<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d7665134\x26blogName\x3dA+Fonte\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://afonte.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3den_US\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://afonte.blogspot.com/\x26vt\x3d6978232382653524933', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

A Fonte

O que há de errado comigo ? Eu não sei nada e continuo limpo.

O Hino

No Combustões

[...] Não compreendo, sinceramente, que insulto ou que aproveitamento estará a fazer essa companhia a algo que é de todos. Tenho para mim que o hino e a bandeira deviam estar em todo o lado, conquanto respeitados. Nós todos somos o hino e a bandeira, pelo que a sua presença deveria ser tão natural como as árvores, as montanhas, as casas e monumentos, a língua e a memória deste povo que quer manter a sua independência e liberdade. O hino e a bandeira não são propriedade de ninguém, não são de esquerda ou de direita, de partidos, empresários ou trabalhadores. São de todos e a todos obrigam a exibi-las. [...]


E eu acrescento que se porventura aparecesse um actor qualquer a fazer um rábula com o hino, e se levantassem, erradamente, vozes a censurar, não faltariam novos do Restelo a clamar pela liberdade de expressão.
« Home | Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »

4:11 PM

Eu vi o actor João Grosso num programa da RTP chamado Fisga, há uns valentes anos atrás, fazer uma rábula com o hino, e no dia a seguir o mesmo foi despedido e processado e o programa suspenso.
A conculusão que se pode tirar é que o hino não pode ser usado de forma artistica, mas pode ser usado para promover a PT...
Sinais dos tempos...    



5:11 PM

A referência que eu faço é precisamente ao João Grosso (embora não me lembrasse do nome do actor)

A minha opinião, e que tentei transmitir no post é que o hino pode ser usado nas duas situações.

Tanto como forma artística, como para publicidade.    



» Post a Comment