<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d7665134\x26blogName\x3dA+Fonte\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://afonte.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3den_US\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://afonte.blogspot.com/\x26vt\x3d6978232382653524933', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

A Fonte

O que há de errado comigo ? Eu não sei nada e continuo limpo.

História mal contada

No Clube de Jornalistas
O director do "Público" reafirmou, no CJ na TV, a confiança nas fontes e disse que o jornal mantém os relatos sobre as circunstâncias da chegada de Fátima Felgueiras a Portugal. José Manuel Fernandes, em resposta a uma pergunta directa de Estrela Serrano, sublinhou que essas fontes têm fornecido, nos últimos anos, informações sobre o caso de Fátima Felgueiras e que todas se confirmaram sempre, mesmo quando foram inicialmente desmentidas. O director do "Público" explicou também o silêncio do jornal sobre a polémica levantada, afirmando que foi decidido não perturbar a campanha eleitoral.

O Público finalmente reagiu. E o que veio dizer não me satisfaz. O que aqui me interessava não era tanto saber se o jornal mentiu, mas sim saber se o PS mentiu, o que não é a mesma coisa. E o que o José Manuel Fernandes veio dizer foi reafirmar que o PS mentiu mas que o jornal não insistiu na história porque não queria “atrapalhar a campanha eleitoral”.

É isto que me custa a engolir. A diferença entre desmascarar uma mentira a bem da verdade e desmascarar uma mentira que pode prejudicar um partido pode ser ténue, mas ela existe. Se o podia fazer e não o fez para não “atrapalhar a campanha eleitoral”, o Público não está a assumir uma posição isenta. Está, objectivamente, a tomar a posição da mentira.

Por último, dou os parabéns ao Paulo Gorjão pela iniciativa. Não fosse ele, provavelmente este assunto já estaria morto e enterrado, como muitas notícias que surgem escandalosamente na primeira página à Segunda para acabarem reduzidas a uma nota de rodapé na Sexta.

Nota: Esta a minha opinião, que só mudará se o Paulo Gorjão assim o entender. Não sei se sabem, mas eu estou a ser manipulado.
« Home | Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »

» Post a Comment